Isso não é amor.

Quando você está solteira é comum se rodear por muita gente solteira também. Programas em comuns, papos que combinam, dicas, enfim, mais afinidade.

E nesse periodo, ouvindo aqui, ouvindo acolá, me deu vontade de gritar umas mil vezes: ‘mas isso não é amor, porra!’, geralmente inclusive, é o minimo, mas as pessoas se acostumaram com tão pouco…

Por exemplo, nesse carnaval um infeliz tentou provar que gostava mesmo de mim, mas antes vamos analisar os fatos:

Era fim de noite, não havia quase mais ninguém, ou ninguém decente na rua. E pela felicidade do carinha que tinha um gosto duvidoso, eu estava lá:

‘Se eu não gostasse de vc, não estaria na sua cidade’ (a cidade ao lado que tem o carnaval foda cancelou o evento)

‘se eu não gostasse de vc, não lembraria seu nome’ (QUE????!)

‘Se eu não gostasse de vc, não teria seu telefone na minha agenda’ (Oh, obrigada por essa glória, como vou dormir a noite?!)

Meninas compartilhe desse conhecimento básico e meninos me desmintam se eu estiver errada:

Mas não é amor se o cara manda um sms te chamando de gostosa e só te convida para sair de madrugada.

Não é amor se ele não atende sua ligação ou some do nada.

Não é sequer interesse se você precisou oferecer  seu número a ele, se ele quisesse realmente, ele teria pedido, ou dado um jeito de pegar com alguém.

Não é amor se ele se deu ao trabalho de te levar para casa, se ele lembra seu nome, ou te ligou no seu aniversário (suas colegas do trabalho, familiares e até semi-conhecidos fariam isso).

Não é amor um infinito de situações parecidas com essa.

Então o que é amor?

As vezes penso que é só um doce de amendoim, como a foto abaixo mostra:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(brinks)

Eu já discuti esse tema com anarquista que acredita no amor libertário, com pessoas ‘caretas’, com pessoas normais. E cheguei a uma conclusão que é minha e não verdade universal:

O amor são momentos em que amizade e paixão se difundem, aquela pessoa te parece tão encantadora que você ao mesmo tempo que quer agarra-la, quer conversar a noite inteira. O amor é quando nos preocupamos com alguém, quando olhamos além da malícia. Ao mesmo tempo, aquela pessoa nos é deliciosa, por inteiro. São momentos que passam, mas renascem em outras pessoas. E a gente não precisa procurar por ele, ou batalhar, ele simplesmente surge, as coisas simplesmente encaixam.

Mas como eu disse, é minha verdade e não universal, e também pode não ser amor.

About these ads

9 Comentários

Arquivado em Sem Categoria

9 Respostas para “Isso não é amor.

  1. se ele te chama pra casa dele, se ele faz café pra vc no dia seguinte, se ele dorme de conchinha, se ele te mostra as fotos da última viagem, o livro que ele está lendo, te apresenta pra irmã, te leva pra passar o fim de semana na casa de veraneio. ainda assim, não é amor. as relações foram banalizadas e os momentos que antes eram divididos com algumas pessoas, passaram a ser divididos com várias (muitas vezes, com qualquer uma). é opção demais por aí, pq ficar só com uma não é? essa está boa, mas quem sabe eu não acho uma melhor? triste, né?

    :*

  2. she

    Tava pronta pra dizer exatamente o que você falou no final. Acho que as coisas se encaixam, vêm dos dois lados, ninguém precisa batalhar por ninguém e nem tirar ninguém de ninguém. As coisas acontecem. Por isso que não consigo entender essa coisa de alguém estar a fim de mim sem me conhecer. Se me diz que se interessou por mim ou sentiu tesão, ok (e ainda provaria que é um cara bem resolvido e sabe discernir as coisas), mas eu reluto muito em aceitar que tem alguém a fim de mim sem me conhecer. E amor é com aquela pessoa que, depois de transar, o tesão ainda vai continuar e o casal vai conversar um monte ainda até o dia amanhecer.

    Me lembrei de um livro que, na minha opinião, é o melhor de autoajuda sobre amor:”Ele simplesmente não está a fim de você”. Foge um pouco do tema do post, mas é um tapa na cara. Hahahaha. Recomendo (Você lê em meia hora em pé em qualquer livraria).

    • Eu leio o ‘ele simplesmente não está a fim de você’ há dois anos, e leio sempre, porque ele é uma biblia pra mim.
      Tenho até um texto com a indicação, o filme é um nojo, mas o livro é sensacional. É um delicioso tapa na cara.
      Toda mulher deveria ler.
      Valeu o comentário “she”, valeu mesmo…

  3. Tudo bem, eu aceito. Eu to carente entao, deve ser só isso… (me socorre, Ísis!!!)

    • Quero socorrer, mas não sei como :(
      Pessoalmente eu te distraíria, virtualmente eu aconselho a sair da vida virtual, se enterrar em estudo, trabalho, qualquer coisa: perca o foco, e perca-o em algum lugar interessante.

  4. Gostei do último parágrafo, onde você fala sobre suas conclusões.

    Assim como as gurias comentaram acima, vivemos em um tempo de constante insegurança, por não sabermos mais dicernir quando os sentimentos são verdadeiros.

    A certeza de hoje é uma eterna dúvida, as barreiras aceitáveis entre uma relação passageira e um amor de verdade estão completamente dissolvidas.

    Procurasse um amor de verdade, e ao mesmo tempo não se sabe como reagir dentro de um relacionamento.

    Procurasse um relacionamento saudável, mas o que vem a sê-lo?
    Algo que você não pressiona? Deixa a pessoa livre ? Mas até que ponto?
    Até que ponto você deixa a corda solta se tornarnando um estranho que não liga?

    São inúmeras as perguntas.

    Espero que continuemos nossas discussões sobre esses assuntos, que muito me interessam ;)

  5. Acho o amor o sentimento mais estúpido e irracional que existe. Também é o mais cruel, e já disse em outros momentos desse blog que estar amando e estar sofrendo de alguma patologia mental são estados muito semelhantes. Acho que por isso mesmo, não dá pra falar sobre amor. Como um amigo gosta de citar a partir de um filme (Playing by Heart/Corações Apaixonados): “Falar de amor é como dançar sobre arquitetura”. Por isso, acho que se dá pra falar a respeito, não é amor. Você nota que é amor quando sua vida já não é mais completamente sua. É mais do que apenas o relacionamento ou nossa opinião do que deve ou não ser o amor – ao menos sob a minha ótica. Se existe alguma dúvida sobre o fato de ser ou não amor, provavelmente não é.

    Acho que isso deixa fora da liga convencional os que chamam pra sair, os que atendem e não atendem as ligações, os que chamam pra sair de dia e de noite e quase todo mundo, na verdade. :)

  6. Será que posso dar meus dois palitos sobre esse assunto, ou minha opinião está viciada?

    Um grande mestre de palavras simples um dia disse que os olhos são a janela da alma.

    Acho que o amor se demonstra com atitudes, mas para se valorar uma atitude vale muito mais o significado delas do que elas em si. e nesse contexto um convite pra passar o final de semana no caribe pode valer menos do que três palavrinhas simples ditas num dia qualquer.

    E esse é o tipo de coisa que não se mede com a grandiosidade da atitude ou com o tamanho do sacrifício necessário para realizá-la, mas sim quando voce olha dentro dos olhos de alguem e não tem nenhuma dúvida quanto ao que ela sente.

    E aí toda a nossa capacidade de interpretar racionalmente os sentimentos e os motivos do outro tomam um ippon inquestionável e a gente segue o coração, porque realmente creio que só ele é capaz de discernir coisas como o amor. Se você teve que pensar demais, tá errado.

    Uma garota uma vez me disse que ficou uma semana inteira pensando se amava um cara, mas no final das contas só teve a certeza mesmo do que sentia quando olhou no espelho e viu que estava tão claro no rosto dela que não dava pra ser mentira.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s